terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Princesa da Mata

Boa tarde, amados irmãos e irmãs!

Hoje venho compartilhar uma poesia que comecei sem pretensão alguma sobre algumas coisas simples que gosto e se tornou o que para mim foi uma revelação profunda do meu lado guerreira, da minha alma vermelha e da minha honra a tudo aquilo que vive, ao Grande Mistério Divino, reconhecendo em cada pequena coisa, uma parte do Eu.


Espero que gostem! Aho! :)


PRINCESA DA MATA

Pessoa simples que senta no chão, que sorri pro desconhecido, que abraça apertado, que olha mais pros seus olhos do que pras suas vestes, que aceita a viagem, que pisa descalça na grama, na lama, na areia e gosta de sentir a natureza entre os dedos dos pés, que não se importa de caminhar, de dormir no chão, ou de varar a noite acordada só pra contemplar os primeiros raios do Rei Sol.

Na mata eu sou Princesa, sou filha do Rei.

Sou mulher de flores, não de jóias... Ou melhor, sou mulher de sementes, de plantas sem nome, rasteiras, sou do tipo de gente que abraça árvore e bate palmas pro Rei Sol, sou daquelas que pedem licença pra entrar na mata e que se curvam de joelhos perante Deus, que louvam aos ancestrais na fumaça do cachimbo, no bater de palmas, no bater dos pés e no toque do tambor...

Eu sou mulher. Mas também sou homem.

Sou os braços do guerreiro e da donzela eu sou a lágrima do Amor, sou o menino que corre e a menina que canta, o velho curador e a velha que tece a vida...

Eu sou a saudade da Terra, a tristeza do Mar, o sereno da Lua, da índia eu sou o cocar... Sou cada pena arrancada da ave moribunda, e que por ter passado por elas nos voos, eu sou então o Vento de todo o lugar. Eu sou o Fogo que crepita na fogueira, sou cada tronco queimado lá.

Dos sinos sagrados, eu sou o Som, sou o tilintar.

De toda a Vida, eu sou tudo o que vibra, não só humana e terráquea, eu sou Alma Divina...

Vinda do Juremá.

sábado, 15 de novembro de 2014

Minha Umbanda Querida

Bom dia, meus irmãos!

Estava com esse texto pronto só aguardando esse dia tão especial para compartilhar em forma de homenagem, hoje, 15 de Novembro comemora-se o Dia Nacional da Umbanda, em referência ao advento de Zélio Fernandino de Moraes e o primeiro templo de Umbanda fundado oficialmente, a Tenda Nossa Senhora da Piedade que existe até os dias atuais, a minha gratidão a Pai Zélio, ao Caboclo das Sete Encruzilhadas, e tantos outros que tornaram e tornam a Umbanda viva até hoje, em especial, Deus e os Divinos Orixás, toda a linha de Umbanda!
Rodei e rodei até chegar aqui, muito eu aprendi, pouco perto do que ainda vou aprender, e hoje, com todas as práticas espirituais e doutrinas que fazem parte da minha história e do meu dia-a-dia, a Umbanda tem o meu total respeito. E hoje eu digo que sim, eu sou filha de Umbanda e não me envergonho da minha fé!

Esse texto é apenas uma reflexão de como a Umbanda tem agido na minha vida, e eu dedico a "Minha Casa", aos meus Pais de Santo e a todos os meus irmãos, a minha gratidão por tudo o que aprendo com vocês!


(Festa de Cosme e Damião em 2014, nesse momento estávamos cantando o Hino da Umbanda.)

"Ao contrário do que muita gente pensa da Umbanda, que as pessoas a procuram só para benefício material, eu vou dizer o que a Umbanda fez com a minha vida:

A Umbanda não me enriqueceu e não me deu um emprego melhor;
A Umbanda não me trouxe a pessoa amada em sete dias;
A Umbanda não me trouxe status social;
E nem fez com que meus "inimigos" (entre aspas, pois não acredito na ideia de "inimigos") ficassem pobres, doentes ou sofrendo;
E também não fez com que eles passassem a gostar de mim e viessem pedir desculpas.

Na verdade, a Umbanda me tirou de empregos onde eu não era feliz, e me deu forças e confiança pra lutar por um negócio em que eu acredito e que preenche verdadeiramente o meu coração;
A Umbanda me ensinou o valor da caridade, e que mais vale o doar do que o que você acumula só para si;
A Umbanda não me trouxe um companheiro, mas me afastou das pessoas que não eram verdadeiras, que não tinham boas intenções, e me ensinou não só a me valorizar, mas a nunca perder a esperança no Amor;
A Umbanda me ensinou que eu devo perdoar os que me prejudicam, mas jamais desejar o seu mal, e orar por eles, e quando for necessário, apenas me afastar;
A Umbanda não fez com que as pessoas que não me compreendem ou não gostam de mim passassem a gostar e a me aceitar, mas tem me ensinado a ter paciência com o caminho e a consciência de cada um, e em compensação me aproximou outros (espíritos de Luz encarnados e desencarnados), esses sim, me compreendem, me aceitam, me ajudam nesse aprendizado todo e também "puxam a minha orelha" quando eu vacilo, porque amar também é cuidar."

Umbanda é Amor!
Gratidão, minha Umbanda!_/|\_

Gratidão meu Pai Vladmir e minha Mãe Marli!
(Vocês são exemplos de espíritos de Luz encarnados!)

Axé pra todo mundo, Salve a Sagrada Umbanda!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Sonho na Represa da Cantareira - Ensinamentos da Natureza

Boa tarde, meus irmãos! 

Essa noite tive um sonho em que eu estava nadando na represa da Cantareira, e recebi um ensinamento tão lindo que achei justo e por bem compartilhar, que fique claro que não tenho intenção de isentar culpados ou julgar as razões do porque estamos ficando sem água, mas o ensinamento é válido, em relação a esse assunto e sobre a nossa vida em geral, observemos como agimos com egoísmo sempre querendo as coisas do nosso jeito, na hora que a gente quer, sempre de forma a que nos beneficie sem pensar no todo. 


Imagem para pensar na Cantareira como ela costumava ser.


SONHO NA REPRESA DA CANTAREIRA
Ensinamentos da Natureza

Estava eu nadando no meio da represa da Cantareira, algumas pessoas em pedras olhando pra represa e outras nadando também... Então eu vi que a água estava muito baixa e pedi por chuva, no mesmo instante o céu fechou, o tempo ficou feio e começou uma tempestade, aí pensei "agora não vai dar pra eu aproveitar aqui com esse tempo" e pedi por sol, no mesmo momento saiu um Sol alaranjado e grande e um calor bem forte e a represa começou a secar e suas águas ficaram vermelhas, tentei pedir depois "não tão sol", e as águas aumentaram e ficou um tempo esquisito, com o solzão alaranjado e um vento frio, as águas ainda estavam vermelhas, entristeci, nadei até as pedras e fiquei em pé olhando para o céu, a represa, as árvores em volta, e uma voz de mulher começou a falar na minha cabeça algo assim "a natureza está em desequilíbrio porque vocês não sabem pedir as coisas direito", eu via vagamente no meu mental uma imagem fraca de seu rosto, cabeça baixa, traços finos, pele branca e manto branco na cabeça, como um arquétipo da Mãe Divina, nesse momento eu olhava pra represa e pedia que fizesse sol e fizesse chuva conforme fosse o necessário, mas dessa vez não notei mudança nenhuma em nada a minha volta, e através de mensagens mentais vindas dessa Mãe Divina entendi que as coisas não acontecem na hora que a gente quer, que a natureza tem seu próprio tempo e é isso que mantém o equilíbrio de tudo, e que abusamos tanto dela a manipulando conforme nossas próprias necessidades, que agora que "aprendemos a lição" só nos resta fazer do jeito certo daqui pra frente e aguardar o seu tempo.

Obs.: Veja que não consigo dizer com exatidão as palavras vindas dessa Mãe Divina, era uma conexão mental bem subjetiva e complexa, onde nem tudo era entendido com palavras, mas tento traduzir dessa forma para que vocês compreendam.


Exemplo do fenômeno "maré vermelha" na Austrália. 

Pesquisei a respeito do fenômeno das águas vermelhas, chamado de "maré vermelha" embora possa acontecer em águas doces e salgadas. Ocorre devido a um acidente ecológico onde uma espécie de mini-planctons durante sua reprodução sexuada "lançam nas águas enorme quantidade de zoósporos que possuem toxinas que são facilmente absorvidas pelos outros seres vivos, provocando o envenenamento das águas e ameaçando a sobrevivência de várias espécies."
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mar%C3%A9_vermelha

Ademais, li também por aí que sonhar com águas vermelhas pode significar "boas novas", mas sem se ater a esses significados generalistas, pensemos sobre o ensinamento do sonho como um todo.

Vibremos cura para a Mãe Terra! 

Aho! _/|\_

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O Amor (por mim mesma, íntimo e pessoalmente)

Bom dia, irmãos e irmãs!

Um texto tão, mas tão pessoal, que dispensa introduções... Sejam bem vindos ao meu coração!

 O Amor (por mim mesma, íntimo e pessoalmente)


Permitir que um romance cresça também é uma opção. 
Descobri que eu não posso guardar meus sentimentos em caixas, mas eu posso administrá-los de forma a que cada um receba o que precisa do meu coração, nem mais, nem menos.
Quero dizer que, sendo o Amor assim como uma flor que brota, em sua natureza ela possui a vontade de crescer e ser árvore (algumas sim, outras não, algumas serão sempre pequenos galhos e arbustos e isso não faz delas menos bonitas, ou menos importantes, essas, eu as chamo de Amores Fraternos), mas mesmo aquelas com potencial de ser árvore, se você cultivá-las num pequeno vaso, elas serão sempre flores de pequenos galhos e arbustos, e nem por isso serão egoístas a ponto de recusarem-se a lhe oferecer sua beleza, ainda assim, a flor, em seu Amor Incondicional, vai lhe dar suas flores, oxigênio, cores, aromas, vida, naquilo que você a permitiu doar-se, naquilo que você necessita dela, ela é o que ela é.
Mas, se permitir que ela seja conforme a sua própria natureza (selvagem), ela cresce com grandes raízes e força e se torna uma frondosa árvore, com um tronco robusto, e é assim que eu imagino que seja o Amor Romântico, selvagem (um pouco fora de controle), mas firme, grande, e forte, com raízes que sustentam muitos galhos, que sustentam muitas vidas, ecossistemas, o que se pode comparar a um casal que um dia formará uma família, com filhos, netos e agregados, da mesma forma que a árvore agrega a si os frutos e flores, alimentando pássaros e insetos, perpassando às vezes centenas de anos, sobrevivendo a frio, seca, chuva, resistindo a quase tudo. E mesmo não tendo a delicadeza e simplicidade de uma "flor de vaso pequeno", é linda em sua força e grandeza.
E eu... Ah, eu sou uma mulher de muitas flores, que coleciona amores, oferecendo a cada um aquilo que é necessário de mim.

 

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Empatia - Dom inerente a todo Ser (E sua relação com as Sagradas Medicinas)

Boa noite, meus amados!

Que venha outubro com mais conteúdo no blog, se Deus quiser! _/|\_

Depois de um tempo de reflexões e ausência, veio esse texto como uma avalanche de palavras no meu mental, muita informação tem vindo a mim através desde textos que vêm parar na timeline do facebook, até as minhas próprias experiências de vida, coisas que eu descobri sobre mim e que buscava compreensão, mas não era capaz ainda de entender, e, com a graça de Deus, com sua Divina e infinita perfeição, como em um passe de mágica, tudo fez sentido, agora, assim de repente, ufa! rs...
E para oferecer uma "luz no fim do túnel" para pessoas que eventualmente podem estar passando pelos mesmos conflitos internos que passei, venho compartilhar a minha reflexão e conclusão sobre o dom da Empatia.


EMPATIA - DOM INERENTE A TODO SER
(E sua relação com as Sagradas Medicinas)




Eu já havia ouvido falar sobre Empatia, mas entendi a princípio apenas como uma palavra sinonima de "afinidade", a primeira vez em que vi a Empatia como um dom foi em um dos episódios de um seriado de bruxas que acabou em meados de 2006, Charmed, nesse episódio, por algum motivo especial que não me lembro, claro, dentro da ficção da série, uma das bruxas protagonistas recebe um novo "poder" que foi chamado de Empatia, no caso, era visto como um dom especial, como outras espécies de mediunidade, foi mostrado como uma sensibilidade às emoções de outras pessoas, mas tão forte a ponto de sentir o que o outro sente, acabou com a personagem trancada em um quarto quase a beira da loucura, como se escutasse os outros pensamentos das pessoas também, como se estivesse se "conectando" com todas as pessoas, pelo menos as mais próximas, mas num raio bem grande, como o da cidade, por exemplo.
Fazendo uma breve pesquisa da origem etimológica da palavra Empatia, a vemos como sinônimo de Compaixão e Misericórdia: 

"A expressão Misericórdia tem origem latina, é formada pela junção de miserere (ter compaixão), e cordis (coração). "Ter compaixão do coração", significa ter capacidade de sentir aquilo que a outra pessoa sente, aproximar seus sentimentos dos sentimentos de alguém, ser solidário com as pessoas." (http://www.significados.com.br/misericordia/)

"Compaixão origina-se do latim (cum+passione). É sinônimo de "Empatia", que procede do grego (in+pathos)." (http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,22,ARTICULISTAS,64940)

"Pathos ou path é uma palavra grega que significa paixão, excesso, catástrofe, passagem, passividade, sofrimento, assujeitamento, sentimento e doença. O conceito filosófico foi criado por Descartes para designar tudo o que se faz ou acontece de novo é geralmente chamado (pelos filósofos) de pathos. E se o conceito está ligado a padecer, pois o que é passivo de um acontecimento, padece deste mesmo. Portanto, não existe pathos senão na mobilidade, na imperfeição. Tal termo grego pode ter transliterado como patia, pata e pato para as línguas neolatinas e anglo-saxãs, sendo eles utilizados como prefixos e/ou sufixos na composição de muitas terminologias." (http://pt.wikipedia.org/wiki/Pathos)

Passamos de um sentimento nobre, lembrando das antigas escrituras bíblicas e outros textos religiosos e espirituais para a concepção de uma ideia de condição "patológica", ou seja, diferente do que é normal ou natural, no caso, não uma doença, mas entendamos nesse momento a Empatia como um dom especial, nem bom e nem mau, apenas incomum, isso sem descartar a ideia de nobreza que nos remete aos seus sinônimos Misericórdia e Compaixão.

Observamos que naturalmente, algumas pessoas já vêm ao mundo com esse dom, ou o desenvolve ao longo da vida num momento "oportuno", assim como qualquer outro tipo de mediunidade, embora isso não seja muito abordado nesse campo, mas com o crescente número de novas seitas, religiões e pessoas aderindo a cultos Universalistas e a formas de espiritualidade ecléticas, especialmente aqueles que comungam com as Sagradas Medicinas Indígenas, vêm crescendo também a abordagem sobre os Empatas, também chamados de Sensitivos em senso comum, falando sobre quem são e como lidar com isso.




Recentemente li um texto que me trouxe a melhor definição do que seria um Empata, por isso, a copio aqui com seus devidos créditos, pois não saberia expressar de melhor forma:

"Na perspectiva das ciências do espírito, a razão pela qual você é um empata é porque você está em sintonia com a consciência universal mais do que outras pessoas. Você está tão ligado para o fator de unidade que se conecta a tudo assim como reconhece e projeta suas próprias dores (atuais ou ligadas às suas histórias do passado) no outro podendo reconhecê-las mais facilmente. Você é o próprio universo que se experimenta através de si mesmo e do outro que é seu espelho e parte do seu próprio ser." (http://www.contioutra.com/etapas-para-pessoas-sensitivas-se-protegerem-e-viverem-melhor/)

Incrível... Pois é, partindo dessa definição eu explico o título do meu texto e a razão de vir aqui falar também sobre a Empatia. No geral as pessoas ou pensam que todo médium é empata, ou pensam que Empatia não passa de um sentimento nobre, mas não, nem todo médium é um empata, visto que a mediunidade tem a ver com uma condição kármica na qual o espírito encarnado vêm com seus corpos sutis "preparados" para a mecânica da incorporação, psicografia, clarividência, etc., geralmente para "acertar débitos" de vidas passadas através do trabalho de caridade. Já a Empatia é um estado consciencial, e a mediunidade nem sempre depende de um estado de consciência muito elevado, já que esta é kármica, a Empatia não, a Empatia ao meu ver é a própria evolução do espírito, vê-la como apenas um sentimento nobre seria uma compreensão bem pequenina perto da imensidão do que ela realmente é.


Muitas pessoas sem saber têm despertado a Empatia em seu Ser, por isso falei sobre a espiritualização das pessoas, muitos acreditam estarmos em um momento de transição para uma Nova Era, eu também acredito nisso, e tenho vivido e sentido essa mudança em mim e ao meu redor.
Aos que consagram Ayahuasca... a maioria de vocês em maior ou menor grau já começou a despertar a Empatia dentro de vocês, nada mais é do que o próprio sentimento de Unicidade, de conexão com tudo e todos, muitos relatam experiências de conexão com pessoas, animais, plantas e até com seres extraterrestres e isto está acontecendo de verdade, aqui e agora, é algo até complexo de explicar com palavras e talvez só quem esteja mesmo vivendo esse momento consiga entender o que eu estou dizendo, mas é natural que isso ocorra com a evolução espiritual, porém a evolução acaba sendo um pouco mais "lenta" em alguns casos e quem já consagrou sabe que a Ayahuasca se bem "digerida" acaba por acelerar esse processo, por isso muitas vezes passamos por momentos tão difíceis durante os rituais, mas é mesmo compensador cada sacrifício. A maioria dos trabalhos espirituais de forma geral falam sobre a dissolução ou o controle do ego, o que nos levaria a um estado de consciência cada vez mais elevado, nos libertando das amarras do egoísmo e do individualismo, aprendendo a ver que a mesma Luz que brilha em mim, brilha em tudo que existe, e é esse estado de Compaixão, de Misericórdia, de conexão que se trata a Empatia.

É como se você estivesse deixando de existir como um Ser individual aos poucos, o que pode ser muito confuso e parecer algum tipo de depressão ou ainda pior, loucura, de repente dói mais ver alguém sofrer do que costumava doer antigamente, você se sente mal quando outras pessoas estão mal, sentem angústias, medos, tristezas, sentimentos que não compreendem e que muitas vezes surgem do nada e sem explicação, pois estão experimentando muitas vezes conexões inclusive com outras dimensões e seres os quais nem temos a compreensão e consciência. Há vários níveis em que a Empatia pode se manifestar a depender do estado consciencial da pessoa, com tudo isso, devo esclarecer que as pessoas que já nascem dotadas da Empatia muito provavelmente são seres de uma evolução maior do que a que nos encontramos hoje, talvez um Índigo, um Cristal, visto que esse tipo de espírito também se torna comum cada vez mais durante essa transição segundo os estudiosos espiritualistas e esotéricos, porém, é inerente a todo Ser a capacidade de compreensão do Divino que habita em cada um, a ideia de conexão com tudo o que vive, se há uma Verdade, essa é a Verdade, TODOS SOMOS UM, e cedo ou tarde todos irão despertar para essa consciência, e quando todos compreenderem que o que me faz mal também faz mal ao mundo e o que eu faço de mal a um irmão, ou até a um vegetal também me faz mal, existirá o respeito por toda a forma de vida, e a Empatia passará a ser menos um fardo e mais uma dádiva, de forma que viveremos relações mais harmoniosas e respeitosas.



Falo em especial da Ayahuasca e das Medicinas Sagradas em geral, pois são heranças ancestrais indígenas e nesse momento nós estamos "voltando", o povo ancestral, o povo da terra, eles tinham essa consciência, eles compreendiam essa conexão, eram seres muito mais ligados a Deus e a uma espiritualidade inata, todos temos isso guardado em algum lugar do nosso espírito, mas está apenas adormecido pelo imediatismo, pelo modo de vida materialista, mas quando nos abrimos para adentrar o "Caminho Vermelho" pegamos a estrada de volta a nossa ancestralidade nativa e é dessa forma que muitos de nós estamos despertando para a verdadeira Unicidade, principalmente por conta da popularidade recente das práticas Xamânicas.

Mas seja como for, seja qual for o teu caminho, que você a encontre também, e que possamos saudar com nossos corações um ao outro, verdadeiramente.

O Sagrado que habita em mim reverencia o Sagrado que habita em ti! :)

Namastê!
Jaya Ahow!
Ryshy Kay Ará!

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Estações Internas

Boa noite, irmãos!

Mais uma vez depois de um período afastada do blog, com esse texto espero explicar a minha ausência, não sei se tal conceito já existe ou se acabei de criá-lo, mas pretendo com ele, não orientar, mas fazer com que reflitam, assim como eu estou ainda em reflexão sobre isso, sem muita teoria ou explicação técnica... Lá vai:


ESTAÇÕES INTERNAS


Os nativos, os camponeses, todos os velhos pagãos já tinham a sabedoria de que a natureza externa é muito parecida com a natureza humana, uma vez que estamos a ela conectados, a Deusa/o Deus, a Terra, somos então totalmente influenciados por ela, ainda que não percebamos, por falta de observação mesmo...
Mas hoje o homem destruiu e prejudicou tanto a natureza ao longo dos anos que esta se encontra em caos, os climas já não são mais os mesmos, as estações do ano já não são bem definidas, igual caos vive dentro do ser humano, macrocosmo = microcosmo.
O que observei como estações internas são ciclos que passamos ao longo de um ano, o que deveria ser mais ou menos semelhante às estações do ano, como os antigos faziam com segurança: tempo de se recolher, templo de plantar, tempo de colher, etc...
Hoje estamos "teoricamente" no início da primavera, mas como desabrochar num ambiente tão hostil? tão degradado? Como mostrar suas cores e pétalas, exalar seu perfume num ambiente totalmente poluído e prejudicial onde ninguém ao menos se importa? Quantos param para olhar as flores? Quantos respeitam a vida da flor a mantendo viva em sua raiz? Quantos respeitam a natureza do fruto tal como ela é sem impor-lhe tóxicos?
Agora imagine que esta flor é você, tentando sair do inverno, do seu período de recolhimento, mas de repente nada mais é igual, já não se sabe qual é o momento de agir, qual o momento de esperar, igual conflito está acontecendo dentro de cada ser. 
Como sair do casulo se há uma guerra acontecendo lá fora da qual você não deseja fazer parte? Como mostrar-se tal como é se ninguém tem respeito pela sua natureza, se o mundo impõe a você outros padrões o tempo todo, como ser flor desabrochando em meio a corações tão gelados quanto o inverno?

E você, em qual estação interna você acredita estar?

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Ilusões e Intuições

Boa noite, amados e amadas!

Depois de algum tempo off, volto com esse texto fresquinho, acabei de escrever! :) 

Falo sobre a questão das ilusões que acreditamos ter ao longo da vida e sobre as intuições que muitas vezes sentimos sobre o futuro e os acontecimentos diários sem me aprofundar em técnicas e ciências místicas, minha referência é a minha própria reflexão sobre a minha vida e o meu caminho espiritual, espero poder agregar um pouquinho ao conhecimento de vocês com a minha história, filtrem sempre!

Aho! Boa leitura!

"Ilusão: s.f. Falta de percepção ou de entendimento que prejudica os sentidos; compreensão errada da mente.
Confusão que faz com que alguém não consiga distinguir a aparência da realidade.
Confusão entre aquilo que não existe (falso) e o que existe realmente (verdadeiro); devaneio ou sonho.
Procedimento que visa enganar; mentira.
Psicologia. Percepção distorcida de um objeto."


"Intuição: s.f. Capacidade para entender, para identificar ou para pressupor coisas que não dependem de um conhecimento empírico, de conceitos racionais ou de uma avaliação mais específica.
Conhecimento claro, direto, imediato da verdade sem o auxílio do raciocínio.
Pressentimento, capacidade de prever, de adivinhar: ter a intuição do futuro.
Teologia. Visão nítida que os santos ou que os bem-aventurados têm de Deus.
Filosofia. Maneira de se adquirir conhecimento instantâneo sem que haja interferência do raciocínio."


(Fonte: http://www.dicio.com.br) 





ILUSÕES E INTUIÇÕES

Ilusões são projeções criadas pela nossa mente sobre coisas as quais não temos a capacidade de sentir, tudo o que é sentido de alguma forma, seja bom, seja ruim, não pode ser chamado de ilusão.
Por isso eu digo, confie na sua intuição, pois tudo o que é sentido é real, e tudo tem um propósito... temos o hábito de acreditar que nos iludimos muitas vezes porque com o passar do tempo as coisas por vezes tendem a mudarem de rumo, "dar errado", mas na verdade nos iludimos quando projetamos além do que realmente sentimos, por isso também digo, tenha cuidado, tudo tem limite.
Quando eu sinto que algo bom vai acontecer em relação a uma situação, isso é real, quando eu projeto um futuro além do momento presente onde existe a intuição de que algo bom irá acontecer em breve e estendo a situação a prazos longos, então eu me iludo.
Intuição existe sim, mas o futuro é incerto, tendo em vista a lei universal de ação e reação nós vamos criando nosso futuro a medida em que vamos fazendo escolhas em nossa vida o tempo todo, por isso não podemos tomar nenhum pressentimento como certeza de um futuro seja ele feliz ou infeliz, e muitas vezes a felicidade trata-se de um momento passageiro, como tudo nessa vida, e assim devemos vivê-lo e deixá-lo partir para que novos bons momentos façam parte de nossa história.
Devemos assim, abraçar nosso presente, confiando em nossas intuições com os pés no chão, criando assim a nossa realidade, o nosso amanhã.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Ser Verdadeiro

Boa tarde, irmãos e irmãs!

Hoje tenho uma mensagem para compartilhar com vocês, curiosamente e atipicamente, com base em ensinamentos bíblicos, sim.
Tenho observado que mesmo entre pessoas aparentemente espiritualizadas, encontramos pessoas que assim como aqueles que fingem ser o que não são dentro das futilidades, há os que se ensoberbecem com sua aparente "iluminação", muito falam, mas não praticam como dizem o Verdadeiro Amor.

Aqui falo, de forma simples e com citações da bíblia, sobre as consequências e a importância de ser verdadeiro em tudo.

Gratidão aos que leem e aos que compartilham!

A vocês, o Amor.











 

Que as suas palavras sejam sempre de Amor, mas de nada valem palavras de Amor quando são somente palavras, que você VIVA o Amor, dentro de ti e de TODAS as suas relações.
Que a sua vida seja conduzida de acordo com suas palavras, pois quem é mal e se diz mal, é mal, mas é VERDADEIRO, e quem é mal e se diz bom, este é pior do que o anterior.
Que suas palavras sejam sempre de VERDADE, pois "No princípio era o verbo, e o verbo era Deus, e o verbo estava com Deus. (...) E o verbo se fez carne e habitou entre nós."
Cuidado com o que diz, como com o que faz e o que pensa.
Você cria com seus pensamentos e palavras, mas lembre, você só cria com a VERDADE, e a sua verdade é aquilo que você terá, independente de qualquer disfarce, pois diante da espiritualidade não existem máscaras.
Somos o que somos, portanto, sejamos Amor.
EM TUDO, EM VERDADE.

"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará."


quinta-feira, 8 de maio de 2014

A Importância do Caminho Espiritual

Boa tarde, meus irmãos!

Espero que todos se encontrem bem e na Paz Divina! :)

Hoje gostaria de expôr uma reflexão minha que demorei para esclarecer e precisei dar muitas voltas para chegar a uma conclusão, e uma bela noite, andando na rua de casa com meu namorado, voltando de uma gira de esquerda no Templo de Umbanda do qual sou filha, me veio de repente, e sutilmente o insight, como uma iluminação enquanto conversávamos. Sabe quando você vai falando e falando e quando percebe "espera? o que eu disse?" e fica surpresa com a sabedoria recebida? Foi o que me aconteceu naquele dia, e só tenho a agradecer a seja lá quem for que me inspirou naquele momento, por isso, compartilho com vocês um assunto muito importante para conhecimento de TODOS, especialmente aqueles que comungam com as Sagradas Medicinas.

Como sempre, bons estudos! Aho!



A IMPORTÂNCIA DO CAMINHO ESPIRITUAL


"Por aí as pessoas tomam Ayahuasca a torto e a direito, aqui não, aqui existe um CAMINHO."
Esta foi uma frase que escutei em um local aonde eu já consagrei a Sagrada Bebida algumas vezes, mas que só agora eu passei a entender, só agora fez sentido.
Precisei estar afastada dos trabalhos com Ayahuasca por um mês, enquanto refletia e me firmava no meu desenvolvimento mediúnico na Umbanda para entender o quanto é importante seguir um Caminho Espiritual.
Fato é que na maioria das casas que trabalham com as Sagradas Medicinas não existe um caminho, inclusive na doutrina do Santo Daime, o único caminho que possamos considerar aqui seria o fardamento, que é para trabalhar na Igreja, mas e quanto às demais pessoas, elas também não precisam de um caminho?
Não posso generalizar pois não tenho como conhecer cada casa tendo em vista a infinidade de locais que existem só no Brasil atualmente, mas é o que tenho visto na maioria dos lugares onde estive e que ouvi falar.
Pensando apenas na consagração da Ayahuasca, o que ocorre nos rituais? Fazemos limpeza física e energética e temos revelações que nos levam a uma elevação espiritual, certo?
Mas o que acontece quando nos afastamos dos rituais? Até que ponto conseguimos levar estas sabedorias e esse despertar para nossa vida permanentemente? Não duvido que hajam pessoas capazes de se iluminarem a ponto de não precisarem mais consagrar, e também não duvido que hajam coisas que aprendemos nos rituais que realmente ficam para sempre em nossa vida, mas de uma forma geral, são poucos os verdadeiramente "iluminados" e não são todos os aprendizados que conseguimos aplicar diariamente, somos humanos... E mesmo que consigamos, sempre haverá um novo aprendizado a ser recebido.
Então o que acontece na maioria das vezes é que vamos a um ritual e ficamos muito bem emocional, físico e espiritualmente, passa uma semana, duas, um mês, cada um tem seu tempo, mas cedo ou tarde começaremos a nos sentir mal novamente, são as vicissitudes da vida, normal, mas quem já provou do néctar de estar em Paz não deseja mais sentir-se mal, nós queremos aquela Paz pós-ritual, aí vamos em um outro ritual, e assim sucessivamente, porque o mal não cessa, o mal é necessário para a própria manutenção do bem e o mal não deixa de existir nem em você e nem no mundo, então você sempre ficará triste ou bravo em algum momento.
E nisso entra a importância do caminho, se eu vou a um ritual consagrar Ayahuasca sempre que me sinto mal, acabo me tornando dependente, o que não é correto, visto que as Sagradas Medicinas são ALIADOS e não MULETAS, e não é a toa que os índios chamam as Sagradas Plantas de Mestras, Professoras e Aliadas. 
Na maioria das casas a cada ritual existe um tema, temas estes que não seguem uma ordem de ESTUDO dos participantes propriamente, ou seja, não há uma continuidade, algo que os faça desejar retornar no local, então você vai quando sente que precisa ir, ou alguns resolvem ir em todos os rituais e se "firmar" naquela casa. Mas o que realmente acontece é que você precisa ir ao ritual para se sentir bem: dependência velada.
Não existem lugares perfeitos, e até mesmo esse local aonde ouvi esta frase que iniciou meu texto tem seus problemas, mas aprendi coisas boas com eles, e uma delas é "você não pode depender da Ayahuasca para fazer um trabalho", esse lugar definitivamente não era o MEU lugar, mas hoje entendo o propósito pelo qual precisei passar por lá, o aprendizado que eu precisava levar de lá, que é o que estou tentando explicar aqui.
Somos todos médiuns, uns em maior grau, outros em menor grau (uma vez que médium nada mais é que aquele que faz o "intermédio" entre espiritual e material), estamos todos no planeta Terra, chamado pelos espíritas de planeta de "Provas e Expiações", entendam, tornar-se alguém melhor, fazer o bem ao próximo e ao planeta é nossa MISSÃO, missão de todos os encarnados na Terra, há quem diga "o sacerdócio não é para mim", mas isso não significa que você não tenha uma missão de trazer Luz para a Terra, talvez você tenha apenas que ser alguém que vai ajudar pessoas, mas ainda assim, é uma missão, e querendo ou não, está atrelada à espiritualidade, pois nossas missões são resultados de Karmas.
O que quero dizer é que, todos precisamos seguir um caminho espiritual, para nosso próprio bem estar e evolução, ainda que seja sozinho, mas principalmente aqueles que participam de trabalhos com as Sagradas Medicinas, se a casa que você frequenta não oferece um caminho nada impede que você vá a outros lugares em paralelo, o estudo é importante, até no astral sabe-se que os espíritos fazem cursos para se aperfeiçoarem, porque aqui na terceira dimensão haveria de ser diferente? O transe não vai te dar um estudo, ele vai te dar as intuições e revelações certas para que você faça isso por si mesmo, não adianta ir ao ritual achando que ele vai resolver a sua vida enquanto você fica estático, se fosse assim todos estariam tomando Ayahuasca agora.
Em paralelo aos trabalhos com as Sagradas Medicinas eu escolhi a Umbanda, você pode se afinizar com o Hare Krishna (eu também gosto muito e frequento eventualmente), com o Budismo, mas não necessariamente você precisa estar inserido em uma doutrina religiosa, isso foi o que eu escolhi, pois é o MEU caminho, mas no mínimo você precisa praticar meditação e fazer estudo sobre espiritualidade, até mesmo pela compreensão das coisas que ocorrem com você durante um ritual, e não basta, você precisa fazer algo pelo bem, não viemos para acumular riquezas, diplomas e fama, mas para aprender e auxiliar.
E se você fica preso nesse ciclo de comungar com as medicinas sem um caminho, você irá passar o resto de sua vida sofrendo em limpezas (diga-se, peia) para poder sentir-se bem por um período, o que não deixa de ser uma dependência psicológica, as Sagradas Medicinas são muito mais do que isso, não deixem que elas tornem-se "válvulas de escape", mas usem-nas com sabedoria, de forma que elas sejam impulsionadoras da sua evolução através do trabalho espiritual diário.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Povos Originários na Atualidade

Boa tarde, meus irmãos!

Eu como amante da cultura indígena e em homenagem ao Dia do Índio que será em 19 de abril, venho discutir e apontar algumas coisas acerca da ideia de "evolução" e as condições dos povos originários, uma crítica àquela velha ideia ultrapassada de que os índios não são "evoluídos". Afinal, o que é evolução?
Será que somos mais evoluídos que nossos povos originários? Talvez materialmente em alguns casos, mas em caráter e espírito, somos muitas vezes bem piores. Texto escrito em 28/11/2013.

Boa leitura, pensem e questionem!

Fiquem na Paz de Nhanderu!




POVOS ORIGINÁRIOS NA ATUALIDADE

Falar sobre a condição evolutiva dos índios é complicado, especialmente porque cada tribo nativa tem suas peculiaridades.
Muitos dos que vivem no mundo urbanizado ainda criticam o modo de viver do índio, existe muito preconceito, chamam até de "fascinação" essa afinidade e admiração que alguns têm com as culturas indígenas, dizem "índio não é bonzinho". Mas vou levantar um ponto que chega a ser engraçado, eis os argumentos para dizer que índios não são "bonzinhos": lutam violentamente com as tribos inimigas e chegam até a matar, alguns são canibais, poligamia, submissão da mulher e muito mais.
Agora vamos analisar a nossa civilização desde tempos remotos até os dias atuais: muitas guerras (isso sem falar nos dias de hoje em que se mata o irmão sem motivo, muitas vezes violentamente), na China pessoas estão se alimentando de fetos encontrados no lixo de clínicas de aborto porque passam fome, quase no mundo todo desde a época da monarquia se sabe de orgias e traições (principalmente entre as pessoas da elite), submissão da mulher (preciso mesmo falar?), a mulher sempre foi submissa e muitas ainda são até hoje, tanto é que foi necessário no Brasil se criar uma lei só para proteger a mulher da violência, isso sem falar nos homens que traíam suas mulheres abusando violentamente das escravas, e ainda HOJE existem países onde a mulher não pode nem mostrar o rosto (inclusive em regiões urbanizadas).
Agora me digam, essa é a nossa sociedade evoluída, o que nós temos de tão especial? A grande diferença entre nós e os povos originários é que eles tinham respeito e gratidão pela terra, pela natureza, pelos animais. O que fez o homem civilizado pensar que havia a necessidade de todo mundo viver de forma urbana? 
Deixo uma pergunta para reflexão de todos, se a tendência do Ser é evoluir, será que assim como nós (se não tivéssemos invadido e destruído quase toda a sua terra e cultura, e plantado dor, medo e revolta em seus corações) teriam eles evoluído mais tecnologicamente também, mas numa convivência mais pacífica em meio a natureza como sempre viveram?

terça-feira, 25 de março de 2014

Mensagem Canalizada da Cabocla Jurema

Pessoal, bom dia!

Depois de um trabalho maravilhoso nesse final de semana na Luz da Sagrada Ayahuasca e do Sagrado Rapé, hoje compartilho esta bela mensagem de humildade "soprada" para mim pela minha amada Cabocla Jurema em 24/03/2014.
Gratidão, Mamãe Jurema!

Salve a Cabocla Jurema da Mata!
Okê, Cabocla!



















"Meus filhos,

Eu preciso falar pra vocês sobre humildade.

Quem disse que o Deus de um é maior e melhor que o Deus do outro?
Quem disse que é só a sua igreja que está certa?
Vocês homens que inventaram essa coisa de religião.
Cristo por acaso escreveu algum livro? Não, o que ele fez foi deixar o exemplo dele pra vocês.
Vocês quem escreveram o livro, escreveram o que quiseram e interpretaram da forma que quiseram.
Vocês têm que aprender a ouvir, abaixar a cabeça e ouvir mais, principalmente os mais velhos, os anciões.
A palavra que vem do coração vale mais do que o que vocês escrevem.
E principalmente ouvir a voz que grita do coração de vocês, que essa sim vai ensinar sobre o Amor e a verdadeira Salvação.
Vocês têm mais é que dar passagem quando o guia de Luz quer vir, vocês ainda precisam que a gente venha para aprenderem.
Sejam humildes, meus filhos."

(Jurema da Mata)


quinta-feira, 13 de março de 2014

Enteógenos e Estados Alterados de Consciência












Boa noite, irmãos!

Hoje venho falar sobre um assunto um pouco polêmico onde vejo a carência de informação de muitas pessoas, infelizmente levando-as a se prejudicarem, ainda que com boas intenções, como eu disse na descrição do blog, a inspiração não vem por acaso, compartilhar é preciso...
Espero ser útil de alguma forma com a minha contribuição, e ressalto, não sou ninguém para dizer sobre nada, vivo e aprendo com a Mãe Terra e com meus irmãos, filtrem o que for bom!

Gratidão! :]


Enteógenos e Estados Alterados de Consciência


Todos os estados alterados de consciência SÃO induzidos, ainda que apenas por uma concentração do indivíduo, nossas ondas cerebrais são habitualmente beta (estado de vigília), não se entra em alfa (relaxamento e serenidade) "do nada", que dirá em teta (profundo relaxamento, êxtase) ou delta (êxtase pronfundo, nirvana, samadhi, união com o Divino).


Portanto, isso já quebra parte dos preconceitos em relação ao uso dos chamados enteógenos (do grego "entheos" = Deus dentro). Primeiramente precisamos esclarecer que Drogas ≠ Enteógenos, a maioria dos enteógenos é proibido o consumo doméstico, sendo permitido apenas entre os nativos. O único enteógeno no Brasil que teve seu uso regularizado e autorizado (dentro do contexto ritualístico espiritual) foi o Chá Ayahuasca (feito a partir do arbusto Chacrona e do cipó Jagube), popularmente conhecido como Daime, que hoje é reconhecido como patrimônio cultural brasileiro.

Por que essa polêmica?

Porque vivemos no imediatismo, no capitalismo do consumo desenfreado, acha que as grandes empresas querem que você se dê conta de que há algo além do materialismo e de que você não precisa mais do carro do ano, da bolsa da moda e nem do último modelo de celular para ser feliz? Óbvio que não, há muita gente "grande" por trás disso, mas como não venho hoje falar sobre os aspectos políticos da coisa, vamos voltar ao que interessa...

O que é droga?

"Qualquer ingrediente, ou substância química que provoque alterações físicas e/ou psíquicas numa pessoa."
(Fonte: http://brasilescola.com)

Agora vou dizer porque não concordo com este conceito... Tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO o que consumimos hoje provoca alterações físicas e psíquicas em nós, ok? Chocolate libera serotonina e ficamos relaxados, Coca-Cola... bom, não vou nem entrar no mérito de dizer o quanto isso faz mal, incluindo os Fast Foods em geral, se alguém quiser saber mais sobre esse assunto, indico o documentário Supersize Me de Morgan Spurlock.

Enfim, no Brasil existem as consideradas drogas lícitas (Cigarro, Álcool, Cafeína, etc.) e as ilícitas (Cocaína, Crack, Maconha, etc.), todas fazem mal, mas através da indústria eles podem tirar nosso dinheiro e nos manipular mais facilmente com as lícitas, e por esta razão elas não são proibidas, e além de tudo têm MUITA publicidade na mídia.
Quer dizer, usamos as drogas que eles querem...

Agora, digo a minha ideia do que é droga, seriam aquelas substâncias que provoquem alterações físicas e/ou psíquicas PREJUDICIAIS à saúde. Por isto, digo novamente, Drogas ≠ Enteógenos.

O que são enteógenos e no que se diferem dos alucinógenos?

Enteógenos, literalmente, manifestação interior do divino, substâncias que nos colocam em contato com o Sagrado. Partindo desse conceito, se eu uso um enteógeno sem intenção de me conectar com o Divino, eu terei uma experiência espiritual? Não! A começar que isso é um desrespeito e prova de um despreparo para este contato.
Para se ter uma experiência espiritual com enteógenos, é preciso respeito acima de tudo pelas Sagradas Plantas e por seus espíritos guardiões, se não acredita nisso melhor parar por aqui, estudar mais e usar apenas quando estiver realmente preparado.

A questão do LSD e seus similares é muito polêmica, muita gente diz ter experiências espirituais e esclarecedoras fazendo o seu uso, o princípio ativo é o DMT (Dimetiltriptamina), a mesma molécula presente no chá Ayahuasca e no Vinho da Jurema (utilizado no culto do Catimbó/Jurema Sagrada), e que por sua vez, é produzida também pelo nosso próprio organismo, porém em menores quantidades, o que permite sim, o estado alterado de consciência sem o uso de nenhuma substância externa, mas falarei sobre isso mais adiante.
Voltando, a grande diferença entre usar uma "droga" e usar um enteógeno é a consequência ruim que as drogas trazem, no caso da comparação entre o LSD e o Ayahuasca, já comprovou-se por estudo científico que o LSD pode sim causar dependência, entre outros malefícios, além do que, a sua chamada "bad trip" é tão intensa que muitas pessoas abandonam o uso depois de alguns anos por si mesmos por conta disto, sem falar que não há nenhum contexto espiritual na sua fabricação. Já o Ayahuasca é feito em contexto ritualístico sério, praticamente em retiro espiritual, a depender do grupo que esteja fazendo, e já no feitio (fabricação), são colocadas as intenções de cura e elevação espiritual pelas pessoas que estão participando. E para quem não acredita que nossos sentimentos, palavras e pensamentos possam influenciar as substâncias físicas e o ambiente recomendo uma pesquisa sobre o estudo científico realizado pelo Dr. Massaru Emoto sobre os efeitos de energias positivas e negativas em cristais d'água (vide imagem abaixo das amostras).





Diferente das drogas, as Sagradas Plantas, ou Plantas de Poder não causam "bad trip", a única coisa que poderia ser TALVEZ comparada seria o que chamamos de "peia" (uma comparação beeem distante, ok?), que é um momento onde a pessoa pode sentir algum desconforto físico e manifestar sentimentos de tristeza, e algumas vezes precisa fazer limpeza física (vômitos, choro, etc.), porém nesse momento (que nem sempre acontece e nem com todos) a pessoa recebe os devidos esclarecimentos do porque estão sofrendo, do que estão a limpar e a colocar para fora, é um momento onde se recebe uma cura, por isso, é comum nos rituais entre os índios e até nas doutrinas urbanas, ver as pessoas agradecendo por isto. Não, não, me desculpe, chega a ser um desrespeito comparar uma "bad trip" a uma "peia", não tem como explicar, só quem já teve uma sabe...

Mas é importante deixar uma ressalva, a nossa mente, acostumada a pensar incessantemente, é muito "malandra", e até mesmo dentro do contexto ritualístico espiritual da consagração de Plantas de Poder, é possível ter visões sem sentido ou "achar que recebeu tal informação e não ser nada disso", isso acontece porque nossa mente é um verdadeiro labirinto de pensamentos, e não estamos acostumados a vibrar em tão pura frequência, por isso é muito importante a prática de meditação para aprendermos a ter o controle da mente, silenciar para aprender a ouvir, a prática leva à perfeição e com o tempo nos tornamos espectadores dos nossos pensamentos e aprendemos a diferenciar o que é um pensamento ou desejo nosso do que é uma revelação vinda do espiritual. Como já me disseram uma vez, "a mente mente".
Recomendo para quem quer aprender a meditar o livro O Poder do Agora de Eckart Tolle.

"Alucinógenos são drogas que causam alucinações, distorções profundas nas percepções de realidade."
(Fonte: http://adroga.casadia.org/)

Não vou dizer que é impossível que uma pessoa tenha experiências espirituais com alucinógenos, pois esses termos são relativos, tudo dependerá do contexto em que for utilizado, pois em essência, TUDO veio da natureza de alguma forma, acontece que geralmente as pessoas quando buscam substâncias com essas capacidades sem contexto espiritual, elas não desejam se voltar para dentro de seu Ser, mas fugir de uma realidade desagradável em que vivem, e tendo em vista essa intenção, com certeza a pessoa viverá coisas que não são reais, mas construções da mente do próprio indivíduo.
Eu acredito, que toda planta com propriedades psicoativas é capaz de produzir uma experiência espiritual, mas fora do contexto ritualístico, lamentavelmente não passarão de alucinógenos, por isso quem tem interesse nesse tipo de experiência deve ter muito cuidado e o estudo deve ser muito sério, senão, além de prejudicar a própria saúde, pois algumas plantas tem toxinas, não irá obter nenhum crescimento espiritual.
Por minha própria experiência, sempre recomendo o chá Ayahuasca para iniciantes, em contexto ritualístico e em local sério. Para saber mais sobre enteógenos e Plantas de Poder em geral, indico os livros de Carlos Castañeda, em especial, A Erva do Diabo.


Sobre o fumo... Eu apresento a visão Xamânica que nos ensina que o ato de tragar é um grande desrespeito à ancestralidade, pois os índios já sabiam que fumaça no pulmão faria mal, e na visão deles, quando a fumaça é tragada ela se torna impura, então toda vez que pegamos um ato considerado Sagrado, como pitar ervas e o invertemos como o homem branco tem o hábito, estamos praticando Magia Negra, mesmo que sem consciência disso, como fizemos com o Tabaco, a Cannabis e a Coca, por exemplo.

Para os indígenas, toda vez que jogamos fumaça para o alto estamos chamando os espíritos, e fazer isto sem respeito ou por diversão é o mesmo que dar um "falso alarme" a espiritualidade, e isto é muito sério, é preciso respeitar o espirito do vento e das Sagradas Plantas.
Só a exemplo, os Guaranis praticam o pito do Sagrado Tabaco no cachimbo (Petyngua) há cerca de 30 mil anos, e há todo esse tempo tem sido assim, e nós com nossa ignorância, persistimos em fazer o uso maléfico desta medicina ancestral.
Eu reconheço os benefícios da Cannabis, e acredito muito no seu poder de cura, mas da mesma forma que há remédios que fazem bem para determinada coisa e causam um mal para alguma outra, eu a considero como droga, fumada como vem sido utilizada pelas pessoas, auxiliando alguns, despertando o vício em outros, sem falar na energia carregada da criminalidade e do tráfico, e ainda, nos pobres espíritos obsessores e viciados que vêm saciar-se encostando nesses irmãos que fumam.
Ainda que não muito classificados como tal, num contexto ritualístico, como enteógenos temos o Tabaco na forma do Pito e do Rapé e a vacina do Kambô (secreção venenosa extraída da rã Phyllomedusa Bicolor). Digo enteógenos não por terem a característica de produzir "visões", mas pelo contato espiritual que pode ser sentido através da experiência.

Estados Alterados de Consciência sem a ingestão de Enteógenos


Uma vez esclarecidos os conceitos necessários, finalmente falarei sobre os Estados Alterados de Consciência sem o uso de substâncias externas. Como eu disse no início, se faz necessário algum tipo de indução, falei sobre os enteógenos acima, mas como já disse também, nosso próprio organismo produz o DMT, ou seja, somos plenamente capazes de entrar em transe sem ingerir nenhuma substância, claro que é mais difícil, mas não impossível.
O transe pode ser induzido através de Tambores (observado nos cultos afro e em muitas culturas nativas já há muito tempo), através de sons chamados Bineurais (técnicas que recriam sensações a partir de sons, geralmente um tom diferente em cada fone de ouvido) e por fim, Meditação, esses são os mais populares, não descarto a possibilidade da existência de outras técnicas. Possibilitam experiências também ricas, embora exija talvez um pouco mais de dedicação e concentração, mas, fica ao critério de cada um, encontrar aquela forma com a qual sente maior afinidade, somos diversidade, contanto que se tenha cuidado e respeito, toda experiência de transe é altamente benéfica física e espiritualmente.
É importante apenas que tenham o conhecimento de que não dependemos de substâncias para entrar em contato com o espiritual, as Plantas de Poder são na verdade espíritos Aliados, ao qual devemos ser muito gratos, porém tudo o que precisamos existe e vive em nós mesmos, somos Natureza, somos Divino, só precisamos despertar.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Ponto das Caboclas

Boa tarde, Guerreiros!

Venho hoje compartilhar essa canção lindíssima e poesia em defesa da cultura indígena e homenageando nossas Guardiãs Ancestrais, as Caboclas!

Okê Caboclo!




"Salve as Caboclas da Mata, salve Iracema, salve Jurema!
Salve as Caboclas da Mata, Iara, Jussara, Jupira e Jandira!
Okê, Okê, Okê Caboclo!

Salve a Mata!

Salve a Mata! 
A Mata que com seu manto de verdes me ata
Precisamos do chão, desimpermeabilizado
Respira, resiste tudo, porque em mim é mato
Cresce o mato como um mito coletivo
Querendo alastrar-se, ganhar terreno
Em cada vida asfaltada
Em cada calçada esquecida da cor da água
Nos córregos emparedados da cidade
Pulsa uma saudade de uma paisagem mais justa
Onde todos tenham pé nu, num chão nu
E faça esse caminho
Saudade da sombra da árvore
E do entendimento de que nós somos parte desse manto
Mato, saudade é mato, cresce em qualquer lugar
E que se proteja o que nos dá força
E nos finca firme de novo no que somos
Nós somos o quê?
Caboclo!
Nós somos o quê?
Caboclo!
Eu sou mais um guardando a aldeia Maracanã!
Nós somos o quê?
Caboclo!
Okê Caboclo!

Mamãe Amazônia da fauna e da flora sagrada
Tupinambá, Tapajó, Kaiapó, Guarani
Asurini, Parakanã, aldeia Maracanã

Para parar Belo Monte."

(Canção de Camila Costa e Poesia de Pedro Rocha)



*Okê Caboclo - Saudação aos Caboclos na Umbanda.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

O Sacramento dos Guerreiros

Boa noite, amados!

Hoje compartilho com os irmãos esse pequeno texto que escrevi em 12 de Dezembro de 2013 trazendo uma "parábola" sobre a reforma íntima do Ser através do uso ritualístico da Sagrada Ayahuasca. Ao meu ponto de vista, claro... Baseado em minhas experiências e de informações compartilhadas entre amigos de caminhada.
No mais, acredito que essa parábola serve não somente para a Ayahuasca, mas para outras Sagradas Medicinas Ancestrais também, pois todas possuem imenso poder e eficácia.

Boa leitura, ahow!


O SACRAMENTO DOS GUERREIROS



Sabe quando uma pessoa está com um osso fora do lugar?
Fica aquela dor incômoda e permanente.
Até que se tenha coragem de colocar o osso no lugar, e na hora vai doer muito, mas vai passar e depois não vai doer mais.
Mas e a coragem para mexer aonde a gente já sabe que vai doer muito?
Porque já sabemos que há algo errado, fora do lugar!
E quantas vezes, nós, por medo e comodidade, preferimos viver com uma dor incômoda que nos é familiar do que nos arriscarmos no processo de colocar cada coisa em seu devido lugar?
Quando mexemos aonde mais dói e nos reorganizamos internamente os sofrimentos cessam.
É preciso ter coragem.
É como a Sagrada Ayahuasca funciona para mim.
O Sacramento dos Guerreiros.